A orientação profissional é um processo que visa facilitar a escolha profissional de uma pessoa. Uma boa escolha depende da identificação de habilidades e preferências em relação a uma determinada área de atuação. Escolher uma profissão significa fazer um projeto de futuro. A escolha profissional faz parte do projeto de vida de uma pessoa, e mais do que descobrir sua vocação, é a hora de refletir e pesquisar sobre as diversas áreas de atuação.

Qual a diferença entre Orientação Vocacional e Profissional? 

Vocação é um termo derivado do verbo no latim “vocare” que significa chamar”. É uma inclinação, uma tendência ou habilidade que leva o indivíduo a exercer uma determinada carreira ou profissão.  Vocação é uma competência que estimula as pessoas para a prática de atividades  que estão associadas aos seus desejos de seguir determinado caminho. Por extensão, vocação é um talento, uma aptidão natural, um pendor, uma capacidade específica para executar algo que vai lhe dar prazer. Nesse sentido, cada sujeito seria dono de um talento que deve orientar sua escolha profissional. A idéia de “Orientação Vocacional” supõe a existência de uma vocação a ser descoberta por alguém capacitado, suposição já superada pela concepção atual do homem como um ser livre para escolher.

Orientação Profissional parece ser um termo mais adequado por não pressupor unicamente a descoberta de aptidões do indivíduo, mas por considerar a relação dessas com a realidade profissional e cultural. Trata-se de um processo que busca auxiliar o indivíduo na descoberta de suas habilidades naturais assim como conhecer as fontes de treinamento disponíveis para se aprimorar e se desenvolver.

Não se trata, portanto de uma vocação, de um caminho único para cada sujeito. A Orientação compreende um sujeito com múltiplos talentos que podem ser desenvolvidos e exercidos em diferentes contextos.

Como é o processo de Orientação Profissional?

O processo de Orientação Profissional, é feito de 6 a 8 sessões, com a duração de 50 minutos cada. Nessas sessões é feita a coleta de dados, aplicação de questionários e testes psicológicos específicos a fim de verificar características pessoais, cognitivas, habilidades, desejos, interesses, aptidões, identificações, influências familiares ou de amigos. Identifica – se as habilidades para definir pela área de atuação mais adequada, considerando sempre a possibilidade de desenvolvimento e capacitação visando uma atividade específica. No final do processo é fornecido um relatório com um parecer das impressões obtidas. A partir dessas informações a pessoa assume a responsabilidade da escolha profissional, considerando o conhecimento: de si, de suas habilidades, vontades e conhecimento das profissões mais adequadas.