Compulsão alimentar gerada pela pressão da chegada no verão

Alguma vez você já deve ter visto por aí essas campanhas sobre o verão estar chegando, não é mesmo? Muitas vezes elas indicam ser essa a última chance para manter o corpo dentro dos padrões indicados e finalmente conseguir aproveitar ela, que é considerada a melhor época do ano. Contudo, o que a maioria não sabe, é que essas campanhas e essa pressão existente pode ser um dos principais fatores da compulsão alimentar.

A compulsão alimentar caracteriza um distúrbio mental, no qual a pessoa sente a necessidade de comer, mesmo quando não está com fome. Comendo grandes quantidades em pouco tempo e muitas vezes, (esses- tira) alimentos QUE não são considerados saudáveis. Uma série de fatores podem contribuir com o seu surgimento, e entre os principais precursores estão as dietas radicais.

As dietas radicais surgem como a solução do excesso de peso que muitas vezes incomoda as pessoas. Prometendo eliminar peso mais rápido e restringindo inúmeros alimentos, elas até podem ser eficazes na balança no primeiro momento, mas grandes riscos para o estado emocional. Afinal, pode parecer estranho, mas o apetite do paciente aumenta!

Esse tipo de dieta pode provocar ansiedade e frustração, fazendo com que nem sempre a pessoa consiga seguir a dieta e quando foge do que foi planejado, se alimente excessivamente, desencadeando a compulsão alimentar. Como consequência desse problema, outros distúrbios podem surgir, estando entre eles a bulimia e a anorexia, que provém da culpa de consumir os alimentos que não estão na dieta.

Vale ressaltar também que a maioria das pessoas que fazem dietas restritivas, acabam recuperando o peso inicial, tendo então que se submeter novamente a estes desafios após um tempo. “90% a 95% das pessoas que fazem dieta restritiva voltam ao peso inicial ou ganham mais peso”, afirma a nutricionista Sophie Deram em uma pesquisa realizada.

Essas campanhas que incentivam a busca pelo corpo perfeito no verão, ou que implementam desafios de X dias para alcançar aqueles resultados que deveriam ter sido trabalhados durante todo o ano, além de, muitas vezes ilusórias, podem prejudicar e muito o seu equilíbrio mental.

O ideal é manter uma rotina saudável durante todo o ano, aliando a prática de atividades físicas e a alimentação saudável, a consultas regulares com psicólogos, para que dessa forma, os distúrbios alimentares fiquem longe da sua realidade, na mesma proporção que o ganho de resultados se aproxima.

Sintomas da compulsão alimentar
A pessoa come e sente culpa;
A pessoa tenta ficar muitas horas sem comer;
Quando come, come excessivamente mesmo quando já não possui fome;
Comer alimentos “estranhos” como manteiga pura, arroz com goiabada, entre outros;
A pessoa come muito rápido.

Tratamento para a compulsão
Já é possível tratar a compulsão alimentar: a terapia. Mas além dela, é necessário um acompanhamento multidisciplinar com um nutricionista que possa auxiliar o paciente na reconstrução alimentar e reorganização da rotina. Procure um especialista!